Lançado inicialmente em VHS, em agosto de 2002, o Documentário Renata, traz a assinatura de um dos grandes nomes do cinema brasileiro, Rudá de Andrade, e a chancela da TV Cultura. parceira da UNISANTA na transformação de Revolution 9 em uma obra prima da cinematografia nacional.

     Aproveitando o lançamento da segunda edição de Revolution 9, Marcelo Teixeira faz chegar ao público apaixonado por cinema a versão em DVD de Renata, que traz como bônus o making off do documentário.

     O documentário é um registro pungente de uma existência relativamente curta, mas intensamente vivida. Renata, aquariana do terceiro decanato, era uma sonhadora, mas defendia com unhas e dentes seus ideais e convicções.

     Em tudo que realizou entregou-se de corpo e alma. A premunição do que ocorreria no fatídico 23 de agosto de 1988 não a impediu de levar adiante seus projetos.

     Quando seus olhos fitaram as águas do Canal da Mancha, a nadadora parecia ter a certeza do que teria de enfrentar. Com a coragem de sempre encarou o desafio, o maior de sua vida.

     Mesmo diante da seqüência de erros e equívocos que culminariam de maneira trágica, Renata ousou ir além dos limites, um expediente que a caracterizou sobremaneira ao longo dos seus 25 anos.

     O filme Renata é mais que uma continuidade da vontade de mantê-la eternamente viva, presente em nossos corações e mentes. Ele não é um mero documentário. Trata-se, permita-nos a ausência de modéstia, uma obra de arte, digna da profundidade contida nos pensamentos e idéias da jovem nadadora. O filme foi criado a partir de uma coletânea de imagens muitas delas inéditas garimpadas nas mais variadas formas de mídia, reforça Marcelo.

     Renata traz imagens em movimentos, um sem número de fotos e ainda o notável recurso da animação gráfica. Não dá para negar que George Mélies, pioneiro genial da fantasia no cinema, é uma das fontes inspiradoras de Rudá de Andrade.

     O trabalho de animação de Emerson Bodadias dá vida aos criativos desenhos de Vallandro Keating, arquiteto que percorre os caminhos da arte, em traços mais que perfeitos.

     Livio Tragtenberg é quem assina uma trilha sonora especialmente composta para o filme. A qualidade poética destas peças musicais valorizam sobremaneira o desfile de imagens de uma trajetória de vida pungente, um legado deixado pela atleta consagrada, a filha amorosa, a mulher apaixonada e sobretudo a guerreira quixotesca.